Apropriação cultural não existe!

A moda agora é falar sobre apropriação cultural e Henrique Reis, um rapaz que resolveu mudar seu penteado colocando um dread cor de rosa (que por sinal ficou lindo) foi a mais nova vítima dos esquerdistas.

Comentários com a frase: “isso é apropriação cultural”, foi o que não faltou. Para aqueles que não viram este episódio, logo abaixo estão alguns prints desse show de horrores:

edZKiqR.jpgwewewewfefefew

rerereE8W8E8W8E8W7EE77E7777.jpger

 

 

 

 

 

 

ewewew9999.jpgewewewewewewew

Argumentar que “apropriação cultural” existe levaria a negros serem proibidos de pintarem seus cabelos de loiros ou deixarem eles lisos, pois este não é natural deles ou impedir qualquer pessoa de se alimentar de produtos orientais e até mesmo vestir roupas que são naturais de outra cultura.

Ademais, a única coisa que se pode tirar deste tipo de pensamento é que o indivíduo que o profere tem seríssimos problemas mentais!

O que se tem de verdade não é apropriação e sim exaltação da cultura, pois se a pessoa utiliza as vestimentas, cor de cabelo, sapatos e outras coisas que remetem a um específico povo é porque ela tem admiração por sua cultura, e não o contrário. Nada mais belo para se quebrar as barreiras do preconceito do que este tipo de atitude.

Contudo, se preferirem insistir na ideia de “apropriação cultural”, não reclamem nas redes sociais ou no seu dia-a-dia pelo preconceito que irá sofrer, pois esta forma de “apropriação” auxilia na extinção deste mal que ainda existe em nossa sociedade.

Fundador do site Mão Invisível, Conselheiro Estadual junto ao Liderança nas Escolas em São Paulo, estudante de Direito e amante de quadrinhos
Loading Facebook Comments ...